Ícone de Linguagem

Escolha sua língua / Choose your language / Elija su idioma

Português English Español

Rio de Janeiro, 20 de julho de 2017 11h46

Jogos Rio 2016

Rio Media Center

Brasil é tricampeão no Estádio Aquático em primeiro evento pós-Jogos Rio 2016

25/09/2016, às 18:09

Raia-Rapida_Estadio-Aquatico_Foto-Ricardo-Cassiano_04Foto: Ricardo Cassiano
Raia-Rapida_Estadio-Aquatico_Foto-Ricardo-Cassiano_07Foto: Ricardo Cassiano
Raia-Rapida_Estadio-Aquatico_Foto-Ricardo-Cassiano_05Foto: Ricardo Cassiano
Raia-Rapida_Estadio-Aquatico_Foto-Ricardo-Cassiano_01Foto: Ricardo Cassiano
Raia-Rapida_Estadio-Aquatico_Foto-Ricardo-Cassiano_06Foto: Ricardo Cassiano
Raia Rapida_Estadio Aquatico_Foto Ricardo Cassiano_03Foto: Ricardo Cassiano
Raia Rapida_Estadio Aquatico_Foto Ricardo Cassiano_02Foto: Ricardo Cassiano

Uma semana após o encerramento dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o Parque Olímpico abriu suas portas novamente, para sediar o Desafio Piraquê Raia Rápida. O Estádio Aquático, que consagrou atletas como Michael Phelps e Daniel Dias nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, recebeu hoje equipes da África do Sul, do Brasil, dos Estados Unidos e da Itália, que se enfrentaram em provas nos 50m nos quatro estilos (borboleta, costas, livre e peito), além do revezamento 4x50m medley.

O Brasil foi o campeão da competição, com 15 pontos, tornando-se tricampeão já que tinha vencido as edições de 2015 e 2014. Na edição de 2016 o segundo lugar ficou com a África do Sul, com 11 pontos, seguida por Estados Unidos, sete pontos, e Itália, três pontos. A equipe brasileira venceu nos estilos peito (João Gomes Jr.) e borboleta (Henrique Martins) e no revezamento 4x50m medley, que além dos dois atletas brasileiros já citados, contou também com Henrique Rodrigues e Bruno Fratus.

Antes de os nadadores profissionais caírem na piscina, atletas amadores, adultos e crianças participaram do Festival Raia Rápida. Com aplausos, assovios e gritos de incentivo, a animada torcida brasileira lembrou por que conquistou atletas, público e imprensa nos Jogos Rio 2016. Para assistir às competições bastava levar duas latas de leite em pó para serem doadas ao Instituto Pró Criança Cardíaca.

Estádio Aquático

Durante os Jogos Rio 2016 o Estádio Aquático sediou as modalidades natação, polo aquático e natação paralímpica. Antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos a instalação já tinha recebido atletas nacionais e internacionais em abril, nos eventos-teste Aquece Rio de natação e Open Internacional de Natação Paralímpica.

O Estádio Aquático dos Jogos Rio 2016 foi construído para ser uma instalação temporária. Ele será desmontado e suas duas piscinas (de competição e aquecimento) serão remontadas no Parque Madureira e em Campo Grande. Após a premiação do Raia Rápida, o nadador Bruno Fratus falou sobre a importância deste legado. “Eu aproveitei muito hoje a oportunidade de nadar em águas olímpicas, pois essa sensação só poderei ter daqui a quatro anos. As duas piscinas vão para regiões menos favorecidas. Este é o maior legado que o Estádio Aquático poderia deixar. Ele foi ótimo nos Jogos Rio 2016, mas não precisamos de outro centro aquático no Parque Olímpico fora das Olimpíadas”.